PUMA PARTICIPA DO 3º ANIVERSÁRIO DA ACAAPESP

segunda-feira, 31 de maio de 2010

É PRECISO MUDAR CONCEITOS. O MEIO AMBIENTE PEDE SOCORRO.


Embora o Brasil tenha conservado boa parte de suas florestas, diferente da maioria dos países que vem dando palpite sobre o que devemos fazer com as nossas, ainda não somos bom exemplo de preservação.
A Amazônia só foi poupada de ser quase totalmente desflorestada devido ao seu grande isolamento das capitais litorâneas. Mesmo tendo o ritmo de danos ambientais diminuído na Amazônia, a destruição ainda é alarmante. O Rio de Janeiro, uma das principais capitais do país, também não se vê um bom exemplo, recentemente os noticiários tem se fartado de tragédias provocadas pelo descaso político com referência a preservação do Meio Ambiente.
É preciso mudar esse conceito, denuncie essas irregularidades. Seja um militante PUMA (Fone: 91-8135-6693 - Email: cesaraal@gmail.com).

Denúncias ambientais:
POLÍCIA AMBIENTAL: 0800 0555190 IBAMA, Linha Verde - 0800-618080

AMAZÔNIA. A MAIOR REGIÃO HIDROGRÁFICA DO MUNDO EM DISPONIBILIDADE DE ÁGUA



A Amazônia é conhecida mundialmente por sua disponibilidade hídrica e pela quantidade de ecossistemas, como matas de terra firme, florestas inundadas, várzeas, igapós, campos abertos e cerrados. Abriga, ainda, uma infinidade de espécies vegetais e animais: 1,5 milhão de espécies vegetais catalogadas; três mil espécies de peixes; 950 tipos de pássaros; e ainda insetos, répteis, anfíbios e mamíferos.
A Região Hidrográfica Amazônica é constituída pela bacia hidrográfica do rio Amazonas situada no território nacional, pelas bacias hidrográficas dos rios existentes na Ilha de Marajó, além das bacias hidrográficas dos rios situados no Estado do Amapá que deságuam no Atlântico Norte (Resolução CNRH n° 32, de 15 de outubro de 2003), perfazendo um total de 3.870.000 km².
A população na Região Hidrográfica Amazônica, em 2000, era de 7.609.424 habitantes (4,5% da população do País) e a densidade demográfica de apenas 2,01 hab/km². As capitais Manaus, Rio Branco, Porto Velho, Boa Vista, Macapá, bem como os municípios de Santarém (PA) e Sinop (MT) são os centros urbanos que mais se destacam dentre os 304 municípios da Região Hidrográfica Amazônica.
A bacia hidrográfica do rio Amazonas é constituída pela mais extensa rede hidrográfica do globo terrestre, ocupando uma área total da ordem de 6.110.000 km², desde suas nascentes nos Andes Peruanos até sua foz no oceano Atlântico (na região norte do Brasil). Esta bacia continental se estende sobre vários países da América do Sul: Brasil (63%), Peru (17%), Bolívia (11%), Colômbia (5,8%), Equador (2,2%), Venezuela (0,7%) e Guiana (0,2%).
Em termos de recursos hídricos, a contribuição média da bacia hidrográfica do rio Amazonas, em território brasileiro, é da ordem de 133.000 m³/s (73% do total do País). Adicionalmente, a contribuição de territórios estrangeiros para as vazões da região hidrográfica é da ordem de 76.000 m³/s. As maiores demandas pelo uso da água na região ocorrem nas sub-bacias dos rios Madeira, Tapajós e Negro, e correspondem ao uso para irrigação (39% da demanda total). A demanda urbana representa 17% da demanda da região (11 m³/s). De um modo geral, os consumos estimados são pouco significativos quando comparados com a disponibilidade hídrica por sub-bacia.
Principais Ações da Ana na Região Hidrográfica Amazônica
- Projeto HiBAm – Hidrologia e Geoquímica da Bacia Amazônica;- Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia;- Termo de Referência para o processo licitatório do Plano da Bacia Hidrográfica do Rio Xingu e da Atualização do inventário Hidroelétrico da Bacia.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *